Por: Evaldo Costa

Até que ponto a escassez do petróleo limitará o mercado automobilístico?

Ninguém duvida de que o tempo do petróleo barato acabou
Postado em |
Envie esta not�cia por e-mail Imprimir not�cia
A+ A-

Até que ponto a escassez do petróleo limitará o mercado automobilístico?

Foto: MCN

 

 

Ninguém duvida de que o tempo do petróleo barato acabou. A cada dia mais a prospecção do petróleo está mais difícil e onerosa. As maiores reservas estão em águas profundas, abaixo de geleiras, florestas protegidas, regiões em conflito etc.

As regras de preservação da natureza estão mais severas e a comunidade mundial não está disposta a negociar quando o assunto for a degradação do meio ambiente. Além disso, a cada dia que passa aumenta o consumo de derivados do petróleo e as reservas naturalmente reduzem de tamanho.

Não demorará muito e países terão que criar regras severas para inibir o consumo de derivados do petróleo, especialmente para os veículos automotores. Publicação desta segunda-feira 23/01/2012, o NadaFrontPage revelou que nos Estados Unidos, por exemplo, a Agência de Proteção Ambiental (EPA) e a National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA), já estão trabalhando na implementação dessas regras.

A National Automobile Dealers Association (NADA) disse que se as regras de economia de combustível propostas entrarem em vigor, mais de 7 milhões de americanos não serão capazes de comprar um carro novo ou caminhão em 2025. Além disso, os carros hoje vendidos por U$15 mil dólares, deixarão de existir, deixando muitos estudantes universitários e famílias de trabalhadores sem poder comprar um carro novo.

Caso as regras sejam implementadas sem alteração, o aumento projetado pela EPA no preço dos carros é de U$3.200 em relação ao ano 2010. O governo norte americano trabalha com a possibilidade de até 2015 aumentar a exigência de consumo mínimo dos carros para 54,5 milhas por galão. A tendência aponta para a necessidade de carros muito mais econômicos (híbridos e elétricos) e aumento dos preços do combustível nas bombas.

Parece que 2015 está longe, mas se tratando de desenvolvimento industrial, o prazo é apertado.

Fonte: Nadafrontpage por Evaldo Costa
Ilustração: MCN

Sobre o autor

Evaldo Costa

About Evaldo Costa

Evaldo Costa é escritor, professor e conferencista. Atualmente desempenha a função de diretor-presidente do Instituto das Concessionárias do Brasil, presta consultoria a empresas do varejo, e é responsável pela realização de Missões Técnicas ao exterior. Visitou mais de 40 países e tem mais de trinta anos de experiência no varejo.

Posta um novo comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *