Onde encontrar seu veículo

Na internet você encontra uma grande quantidade de produtos e preços, que facilita a comparação e escolha de produto desejado. Antes de se deslocar ao estabelecimento, ligue para o anunciante e procure antecipar alguns questionamentos.

Teste um carro antes de comprá-lo

O teste drive pode ser feito para veículos zero quilômetro diretamente nas concessionárias, mas alguns revendedores oferecem o serviço para veículos usados.

No teste drive geralmente se roda poucos quilômetros sendo possível apurar apenas os aspectos positivos do veículo, então se possível alugue um veículo do mesmo modelo para uma avaliação mais precisa. No MeuCarroNovo você pode encontrar a loja mais perto de você. Confira!

Informe-se sobre os veículos mais desejados

No MeuCarroNovo você tem acesso aos veículos mais buscados e também pode avaliar o preço de mercado do veículo desejado ou do seu próprio veículo caso queira entregá-lo como parte de pagamento. Avalie seu veículo!

Pagamento à vista

Comprando à vista você geralmente consegue negociar um bom desconto, mas tome cuidado, faça uma compra segura e não realize depósitos antes de confirmar a existência do veículo. Pesquise os preços de mercado no MeuCarroNovo e desconfie de valores muito abaixo. Forneça seus dados apenas pessoalmente.

Tome o crédito certo

Financiamento CDC (Crédito direto ao consumidor)
O CDC é uma modalidade de empréstimo na qual o bem é colocado como garantia da dívida. O CRLV, documento do veículo, fica em seu nome, proprietário, constando no campo de observações a alienação fiduciária com o nome da financeira.

As parcelas são fixas e mensais e o crédito sujeito a análise e aprovação. Antes de contratar seu financiamento informe-se sobre o CET (Custo Efetivo Total) que é o índice que compõe todas as taxas cobradas anualmente em um financiamento.

Entre em contato com a BV Financeira e obtenha mais informações sobre financiamento de carro, moto, caminhão, ônibus ou utilitário, seja novo ou usado, nacional ou importado.

Leasing ou arrendamento mercantil
Neste tipo de operação, o documento do veículo ficará em nome da Arrendadora, ou seja da instituição financeira, e você, Arrendatário, durante a vigência do contrato, utilizará o bem de uma forma similar a um aluguel. As parcelas são fixas e mensais e o crédito sujeito a análise e aprovação.

Antes de contratar informe-se sobre o CET (Custo Efetivo Total) que é o índice que compõe todas as taxas cobradas anualmente em uma operação financeira.

Entre em contato com a BV Financeira e obtenha mais informações sobre leasing.

Consórcio

O consórcio é um sistema de compra parcelada e programada de um bem onde um grupo de participantes organizados por uma empresa administradora rateiam o valor do bem desejado pelo número de meses de parcelamento deste bem. Se paga uma taxa de administração para a empresa administradora menor do que as taxas de juros cobradas em um financiamento. Porém a compra do veículo não é imediata a aquisição do consórcio. De acordo com uma periodicidade definida, geralmente mensalmente, é feita a entrega de um número reduzido de bens para algumas pessoas consorciadas, chamada de contemplação, através de duas formas distintas: sorteio e lance. No sorteio, um dos consorciados é contemplado a partir de uma escolha aleatória entre os membros do grupo e no lance, os consorciados informam quantias (lances) a serem pagas para conseguir o crédito. O consorciado que tiver o maior lance conquista o crédito para a compra do bem. Uma vez contemplado, seja por meio de sorteio ou por meio de lance, o consorciado não terá mais direito a novas contemplações dentro do mesmo grupo.

Consulte empresas e bancos que trabalham essa modalidade há muito tempo, como por exemplo, o Banco do Brasil.

Existe uma regulamentação específica que rege o sistema de consórcio, criada pelo Banco Central que é o órgão responsável pela normatização, coordenação, supervisão, fiscalização e controle das atividades do sistema de consórcios.

Antes de contratar consulte se a empresa está autorizada pelo Banco Central a operar essa modalidade, clique aqui

Descubra a procedência do veículo que deseja adquirir

Com o número do renavam do veículo e CPF do proprietário é possível consultar algumas informações em órgãos públicos, tais como cor, placa, tipo, espécie, ano de fabricação, combustível, multas, IPVA – valor e ano correspondente e situação do licenciamento.

Onde você pode realizar essas consultas:

Além dos órgãos públicos é possível adquirir o serviço de laudo que algumas empresas oferecem. Este laudo é um documento com informações mais completas, como por exemplo, restrição judicial, restrição administrativa, restrição tributária, roubo/furto, indenização integral, oriundo de leilão, débitos, histórico de acidentes, quantidade de consultas, dentre outras informações.

Analise o estado de conservação geral do veículo

Visite o veículo durante o dia e dê preferência para locais abertos. Preste atenção em ondulações e amassados, bolhas na pintura podem ser sinal de ferrugem.

Verifique os locais que acumulam umidade, como bordas de borrachas e canaletas, caixas de rodas, a região por baixo das portas, quinas de capô e porta-malas são suficientes para descobrir focos de oxidação.

Diferenças de cor entre as partes da carroceria ou respingos de tinta em elementos de borracha, como guarnições de vidros e portas, podem indicar uma repintura.

Observe ainda o estado dos parafusos que fixam portas, capô e tampa traseira: se estiverem "machucados", essas peças devem ter sido removidas para reparos.

Atenção também às manchas nos carpetes, que podem significar má vedação, com entrada de água, e possíveis pontos de ferrugem no assoalho.

Verifique o aspecto geral dos estofamentos e revestimentos, atente ao estado de botões, puxadores e acabamento geral.

Examine todos os comandos, instrumentos, faróis, lanternas, acionadores de vidros, travas e retrovisores elétricos, ar-condicionado, aquecedor, entre outros.

A quilometragem indicada no painel não deve servir de referência: mesmo com hodômetro digital, há mecanismos para alterá-la prefira atentar ao estado geral do veículo.

Procure também indicações como selos de troca de óleo e compare as datas de eventuais revisões indicadas no manual do proprietário, se houver.

Como a maioria dos motoristas não entende muito de mecânica, faz-se necessário levar o veículo até uma oficina de confiança. Lá o mecânico pode descobrir indícios de colisões, defeitos no motor e a necessidade de algum reparo em câmbio e suspensão.

Documentos para transferência

Verifique se a documentação do veículo está em dia. Os documentos essenciais são:

  1. Comprovante de pagamento do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) e DPVAT (Seguro Obrigatório);
  2. Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos;
  3. Certificado de Registro (recibo de venda) que serve para transferir a propriedade do veículo.

Para transferir o veículo para o seu nome, sem mudar a placa, são exigidos pelo Detran:

  1. Comprovantes de pagamento do IPVA, do Seguro Obrigatório e das multas;
  2. Certificado de Registro de Veículos;
  3. Recibo de venda.

Seus direitos

O Código de Proteção e Defesa do Consumidor assegura que, nas compras efetuadas em estabelecimentos comerciais, se o veículo apresentar vícios (problemas) de fácil constatação, você terá um prazo de 90 dias para reclamar. Se eles não forem resolvidos em 30 dias, você poderá exigir, à sua escolha: a troca do veículo por outro da mesma espécie, o cancelamento da compra ou o abatimento proporcional do preço.

IMPORTANTE: A compra de um veículo diretamente de outra pessoa física não constitui uma relação de consumo. A pessoa física, neste caso, não é considerada um fornecedor habitual, ficando à margem do Código de Defesa do Consumidor, protegido, entretanto, pelo Código Civil.

Gastos adicionais

Antes de fechar negócio se informe sobre o preço do seguro para a marca, modelo e ano de veículo que deseja adquirir.

Pesquise mais ou menos quanto será o IPVA e descubra se cabe em seu planejamento financeiro. Se a intenção é utilizar o veículo como transporte para o trabalho, considere também em suas despesas mensais o valor de estacionamento e o gasto com combustível.